sexta-feira, 29 de maio de 2009

SEXTA É DIA: "Desabafo do Galeni"

"Prefiro que meu filho seja homossexual do que ladrão". Foi o que ouvi um dia por acaso de uma vizinha. Por sorte, ela não estava falando comigo, mas com suas amigas. Sinceramente, fiquei abismado com o comentário, apesar de ser do tempo da minha avó. Só que, na época dela, pelo menos, as pessoas preferiam roubar do que queimar a rosca. Mesmo assim, o que me assustou não foi o fato de ter sido elevado ao patamar de um criminoso. Pelo contrário. Por que os ladrões não podem ser gays? Será que uma coisa exclui a outra?

Embora haja controvérsias, assim como nem todo estilista, maquiador ou ator de novela é gay, nem todos os ladrões são exclusivamente héteros. Eles também podem ser gays nas horas vagas, por que não?! Muitos gays roubam, sim. Senão, como poderíamos explicar a expressão "dei à elza, tão comum entre a turma do babado? Quem acha que estou errado, que atire, ou melhor, roube a primeira sandália plataforma! Bom, supõe-se que o filho dela não seja gay nem ladrão. Ele é tão somente hétero. Bom para a mãe que anda tão preocupada. Mas se ele fosse ladrão e, ainda por cima, gay? Que fim teria levado o pobre coitado?!

Em todo caso, já que uma coisa exclui a outra, se é para morrer de desgosto, que seja um desgosto menor. Afinal, ser homossexual tem lá suas vantagens. Pelo menos, no dia em que tiver filhos, isto é, se eu os tiver, não vou precisar me preocupar se gostaria que ele fosse um jegue ou um hétero. Até porque, já que uma coisa exclui a outra, prefiro muito mais a primeira opção. Ou será que estou sendo preconceituoso em elevar os jegues ao patamar de ALGUNS héteros? Em todo caso, seja ele jegue ou hétero, gay ou ladrão (ou tudo junto), o que importa mesmo é ser saudável e feliz. E só.

Desculpem-me, mais eu precisava desabafar!!! E como a experiência do desabafo é ótima, agora TODA SEXTA vocês vão poder acompanhar o Galeni aqui rasgando mais ainda o verbo pelo blog sobre "n" assuntos. E antes que alguém me pergunte porque escolhi a sexta-feira pra isso, logo digo porque é o melhor dia para colocar tudo pra fora e ficar bem leve pra curtir ao máximo o tão esperado final de semana... Aeeee!!! Agora sim to pronto pra me jogar! rsrsrsrr

FORTE DICA: O documentário "I am because we are" feito pela Madonna


Você sabia que a Madonna fez um documentário sobre as mais de um milhão de crianças que ficaram órfãs devido ao vírus do HIV na África? Pois é meus amigos... vale a pena conferir!!!
Disse Madonna sobre o documentário em entrevista:"Eu fiz esse documentário por que eu sinto que essa é uma história que o mundo precisava ouvir".
O vídeo não está disponível para o nosso território no Youtube (Classic!), mas se você se interessou o trailer pode ser visto no website.

Visite para maiores informações: http://www.iambecauseweare.com/

Pequeno Manual da "Bicha Malvada"

"Bicha" (ou bixa, no internetês) ainda é uma palavra ofensiva. Nunca fale. Nunca escreva. Oficialmente. O risco de reprovação é imenso. Mas "bicha malvada" é uma expressão diferente. Praguejar contra esse tipo de personagem parece ser mais aceito no meio social. Não só pela diversão perversa do veneno destilado, mas porque, num mundo em que todos posam de certinhos, parece existir ainda uma necessidade de figuras que façam o circo pegar fogo, que provoquem reações extremas ou expressem a raiva, a fúria, o ódio e também os preconceitos coletivos.

É fácil simplificar esse desejo de fazer o mal gratuitamente com o discurso de que tudo é fruto da insegurança, do estigma de vítima discriminada pela sociedade ou de falhas de educação ou falta de caráter. No longo e tortuoso processo de aceitação da homossexualidade, há realmente um instante de muita energia negativa acumulada, um ódio contra tudo e contra todos pela censura social de ser visto como gay, marginalizado.

Confira os aspectos da bicha malvada:

1- Ninguém me derrota no Orkut: Ela é uma terrorista virtual. Cria e-mails e personas falsos para difundir boatos. Se inspira nas personagens da série "Gossip Girls". Manda torpedos, daqueles enviados por sites, fazendo intrigas. Quer saber o msn secreto de todo mundo. Adora se vangloriar de que tem mais "amigos" em suas redes sociais. É capaz de criar várias contas só para inflar estatísticas de acesso e comentários ou postar paródias infames de vídeos e remixes demoliras de músicas. Gosta de humilhar quem não acompanha as novidades da tecnologia, além de exibir seus últimos brinquedinhos high tech. Frase: "Vamos lá, gentalha. Pra faturar esse cachê, vocês vão ter de aplaudir" (Flora, em "A Favorita")

2- Sou linda, absoluta e demais: Ela é muito vaidosa. Quer estar sempre na moda e não perdoa quem não tem preocupações exageradas com o figurino e visual. Ao conhecer alguém, olha logo para as marcas do jeans, do tênis e da camisa, dados suficientes pela bicha malvada para traçar o passado, o presente e o futuro da pessoa. Esforça-se para aparentar um padrão de vida superior a sua realidade. Seu currículo é uma obra de ficção: lista um monte de cursos, viagens e habilidades (como idiomas). Quem vai checar? Frase: “Espelho, espelho meu, existe alguém mais bonita do que eu?” (Rainha da Branca de Neve)

3- Fale mal, mas fale de mim: ela quer ser o centro das atenções. Numa conversa, usa frases de impacto, avaliações ácidas, tudo com a intenção de chocar. Quando extrapola chega a ser racista e mais preconceituosa do que um político evangélico fundamentalista. Não se incomoda com sua péssima fama. Algumas têm até orgulho dessa popularidade. Quem convive pode até se divertir com o lado folclórico da atuação. O problema é que tanta mania de gongar o mundo cria situações de vexame, vergonha alheia e saia-justa.Frase: “Sorry, mas quando fico nervosa, costumo chantagear as pessoas” (Wilhelmina Slater, em “Ugly Betty”)

4- Sou a princesa do Egito: Ela subestima quem está a sua volta. Quer ter razão em tudo, mesmo quando não entende patavinas. Sabe onde está a melhor vaga para estacionar, qual o melhor restaurante, a melhor boate, o melhor DJ. Não adianta contrariá-la. Ela ignora fatos e avaliações discordantes. Sua marca é arquear a sobrancelha, olhar com cara de nojo e tratar como serviçais ou escravos profissionais como taxista, garçom, porteiro. Gosta de "fazer a egípcia", ignorar conhecidos na rua. Se faz de difícil, vip e inacessível.Frase: "Os detalhes de sua incompetência não me interessam” (Miranda Priestly, em "O Diabo Veste Prada")

5- Aqui se faz, aqui se paga: Ela delira e se acha sempre a perseguida. Vive com alguém na mira. Enxerga inimigos em todo o canto. Odeia ouvir um "não" e costuma lançar maldições e promessas revanchistas. "Você vai me pagar" é o que sempre pensa. Desconfia de tudo e todos. Acha que os outros só estão interessados em se aproveitar dela ou de seus bens. Está sempre na defensiva e adora registrar reclamações contra caixas de supermercado ou vendedores de loja. "Quero falar com o gerente" é uma de suas frases preferidas. Frase: “Aposto que foi culpa daquela anta nordestina, daquela songamonga” (Nazaré Tedesco, em “Senhora do Destino”)

6- Fodam-se os outros: Seu egoísmo é doentio. Não se coloca no lugar dos outros nem se sensibiliza com os problemas coletivos e sociais. Ao ler um jornal, só despertam seu interesse notícias sobre celebridades, fortunas e grandes golpes financeiros. Não tem preocupação ambiental. Só usa alguma retórica de altruísmo, caridade ou filantropia em troca de vantagem ou bajulação. Mas há bichas malvadas na militância também. Elas competem com ferocidade, boicotam concorrentes e jogam sujo nas articulações. Frase: “Se fosse pra minha filha se apaixonar por um pé rapado, eu teria criado você no quarto da empregada” (Branca Letícia de Barros Mota, em “Por Amor”)
7- Tudo tem seu preço: ela aprendeu que o amor incondicional não existe, que o ser humano é sempre mesquinho, que as conveniências forjam os sentimentos. O romantismo é só um truque de sedução. O casamento é uma relação comercial, de melhora de status. As pessoas são rotuladas pelo que podem oferecer em oportunidades ou materialmente. Os salvadores da pátria são apenas espertos disfarçados. A bicha malvada é alguém que sofreu uma overdose de realidade, contraiu uma desesperança crônica com os relacionamentos e com as boas intenções dos outros. Pode parecer uma figura engraçada, mas é também trágica e contagiosa.Frase: “O Brasil é um país de jecas. Ninguém aqui sabe usar talher de peixe” (Odete Roitman, em “Vale Tudo”).
Você conhece alguma bicha assim?... Eu mesmo conheço várias e ainda tem algumas que tem até dois ou três aspectos destes ao mesmo tempo. rsrsrsr... foda né?!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

"DÚVIDA DE QUINTA" - Será que ele é?

Caro amigo leitor, toda quinta-feira teremos aqui no meu blog uma divertida brincadeira que se chamará "DÚVIDA DE QUINTA", onde cada semana irei escolher um famoso para que vocês possam me dizer se acham que ele é ou não gay, combinado!!!

Primeira vítima: Júnior Lima

Este é o cantor Junior Lima de 25 anos. Que por muitos anos fez parceria com a irmã Sandy na finada dupla Sandy e Junior.

Por coicidência, ele também será o entrevistado da próxima edição do programa "Irritando Fernanda Young", do canal GNT, que vai ao ar no domingo que vem (31/05), à 0h. Na entrevista ele falou sobre homossexualidade e sua atração por pessoas mais velhas. Sobre os boatos de que é gay, Junior disse a Fernanda Young: "Dei motivos para as pessoas terem esse tipo de dúvida (de que é gay) porque eu dançava, eu rebolava na moral".

Agora, a parte que achei mais estranha da entrevista: o moço também revelou que às vezes o assédio das mulheres "enche o saco". Hummm... sei não heim! Eu aposto que o assédio dos homens devem incomodá-lo bem menos né!! rsrsrsrs....

O que vocês acham?

Junior Lima... será que ele é?

Forte dica de exposição em SP: "Corpos que se atraem"

O Espaço Ganha Tempo, em Barueri, na Grande São Paulo, recebe a partir do próximo dia 1º de junho de 2009 a exposição "Corpos que se Atraem", que traz fotos em preto e branco de casais homossexuais seminus. A exposição vai até o dia 30 do mesmo mês e é de grátis (melhor ainda heim.. rsrsrrs).
Idealizado pelo fotógrafo Fernando Souza, a mostra pretende conscientizar a população sobre a discriminação contra a população LGBT. No total, a exposição apresenta 21 fotografias em telas de quase dois metros de altura, sendo que 18 delas trazem casais gays e outras 3 mostram casais heterossexuais.

As imagens evidenciam casais abraçados, com marcas no corpo, ilustrando o medo que sentem diante de um ato simples de carinho. E sendo assim, garante o artista ter tomado muito cuidado com o trabalho, por saber que está em suas mãos a possibilidade de desmistificar a imagem distorcida que muitos têm sobre a homossexualidade".

A ideia de expor casais gays em poses reveladoras mas sutis surgiu há dois anos, quando o fotógrafo passou a lidar com questões sociais. Segundo ele, esse é o primeiro de muitos projetos sobre homofobia que ele pretende levar ao público. Fazendo com que as pessoas se questionem sobre seus conceitos e pré-conceitos".

Galera, acho muito legal o fotógrafo querer defender esta causa, mesmo porque acredito ser uma causa mais do que justa. Sabemos o quanto é dura a fase da aceitação, do medo de se assumir. Amadurecemos muito com tudo isso e carregamos um fardo muito pesado até ganharmos força e sermos admirados por aquilo que defendemos", assim como será para este fotógrafo, creio eu. Portanto, vale a pena prestigiar a exposição!

Esta ae o endereço:
Exposição fotográfica Corpos que se Atraem
Espaço Ganha Tempo - Av. Mendes Guerra, 550, Barueri - SP
De 1º a 30 de junho
Valor: Grátis


Anúncio polêmico

Como um bom profissional da área de comunicação que sou, adoro ver anúncios criativos, e sendo assim, hoje acabei me lembrando de um em especial... Alguém se lembra que em setembro do ano passado (09/2008), a imagem de um bebê com identificação "homossexual" gerou a maior polêmica na Itália e refletiu no mundo todo.

Tratava-se de uma campanha institucional contra a discriminação sexual que mostrava a imagem de um recém-nascido com uma pulseira de identificação onde, em lugar do nome, se lia "homossexual", o anúncio na época fez reabrir na Itália o debate sobre a ética na publicidade.

A região da Toscana (centro da Itália) era a responsável pela campanha, patrocinada pelo Ministério de Igualdade de Oportunidades, e que recebeu o apoio de associações de homossexuais e parte da esquerda, assim como críticas dos conservadores, que a consideram "horrorosa". A fotografia, cedida gratuitamente pela fundação canadense Emergence, apareceu em outdoors e postais da época na região sob o lema "A orientação sexual não é uma escolha". A imagem foi utilizada também em um evento contra a discriminação sexual realizado em Florença, capital da região, no mesmo ano, dentro de um festival de criatividade.

O responsável regional pela escolha da imagem, Agostino Fragai, justificou ao jornal "Corriere della Sera" que a campanha não pretendia entrar na origem do homossexualismo, mas ressaltar que ele "não era um vício e, por isso, não deveria ser condenado, marginalizado ou pior ainda, perseguido". O presidente da associação homossexual italiana Arcigay, Aurelio Mancuso, disse que a campanha estava "totalmente na vanguarda" da defesa dos direitos dos gays e afirmou que a Itália deveria "se adequar" à visão da Toscana sobre o assunto naquele período. A imagem do bebê também teve opositores, como o líder da conservadora União de Democratas Cristãos na Câmara Baixa, Luca Volonté, que classificou a campanha de "horrorosa". Para Volonté, "utilizar recém-nascidos para dar a idéia de que os impulsos homossexuais são uma característica inata das crianças é uma desculpa vergonhosa do ponto de vista científico, político e social"(huuuuu... vaia nele!!!... rsrsrsr).

O partido de Silvio Berlusconi, o Forza Italia, disse à imprensa local que "para afirmar um modelo alternativo de sociedade, na qual domina a indeterminação sexual, a região Toscana não vacilou em utilizar um recém-nascido de forma instrumental e ideológica". O que na minha opnião tornou o anúcio muito delicado e sensível como forma de expressar a idéia, e deixou o anúncio um arrazo de criatividade!
Parábens á equipe que trabalhou nesta campanha, muito show!!!!

SABOREIE O RESULTADO DA ENQUETE DESTA SEMANA: 'Você tem um diálogo aberto com seus pais sobre sua sexualidade?"

Quantos pais se sentem à vontade para falar com os filhos sobre sexo? Muito poucos. Prova disso foi a enquete que realizei durante esta semana aqui em meu blog. E como aqui eu mato a cobra e mostro o pau, estão ae de "sobremesa" e na tela os resultados: infelizmente 61,5% dos entevistados não possuem este diálogo aberto sobre sexualidade com seus pais, contra apenas 38,5% que dizem ter.



Acho que muitos pais ainda não perceberam que falar sobre sexualidade com seus filhos é como saborear uma enorme fatia de um delicioso quitute, sem peso na consciência e nenhuma preocupação com dietas, pois quanto maior a fatia... menor será a fome!

Por isso, lamentavelmente me leva a crer que a televisão e as revistas continuam a ser a maior fonte de informação para estas pessoas. E nós sabemos bem o quanto estas mídias ainda estão defasadas nestes assuntos, principalmente a Tv quando se trata de homossexualismo!!!
Falar de sexualidade sem tabus ainda é um grande tabu nada doce!!!

Obigado pela participação de todos e fiquem ligados que ainda esta semana teremos uma nova enquete saindo do forno pra vocês.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

ORGULHO GAY ou VERGONHA HÉTERO?


Á poucos dias da parada gay de São Paulo é mais forte do que eu falar da importância em ser ter o dia do orgulho gay.

O orgulho gay é uma manifestação afirmatória dos gays ao redor do mundo, que visa combater o sentimento de vergonha sentido por muitos homossexuais ou lésbicas, ou mesmo pro grupos (geralmente de religiosos conservadores) que afirmam que tal comportamento sexual é vergonhoso.

A importância deste dia está em mostrar para esta sociedade cheia de preconceitos em relação á qualquer minoria: negros, gordos, muito baixos... que somos todos iguais!

Mesmo que respiremos o tempo todo uma cultura que nos diz que temos que ser os melhores, e que os padrões definidos pelo mercado de consumo são os ideais. Onde o importante não é "ser", mas "ter". Onde valores éticos, como honestidade, dignidade, solidariedade, que nenhuma relação tem com questões étnicas, culturais, religiosas ou com a opção sexual estão esquecidos. Em uma sociedade em que o que impera é a lei do mais forte, e que quem acaba se dando bem são os corruptos, os desonestos e os violentos. Vamos provar que a realidade é uma só: somos todos iguais, a humanidade é uma só. Temos que mostrar que a diversidade é uma riqueza da natureza humana e não sinônimo de desigualdade.
A sociedade precisa parar de julgar ou apontar aqueles quem tem um direcionamento sexual diferente dos padrões, somente nós gays sabemos o quanto isso causa de sofrimento e repressão, levando-nos á consequências gravissimas e ás vezes irreversíveis.

Posso dizer que durante anos lutei contra a minha sexualidade. Com muito medo de rejeição social e familiar, preconceito arraigado, fatores que me conduziam a uma violência afetiva e sexual contra a minha natureza em caráter cotidiano.
A partir de alguns meses atrás começei um lento processo de auto-conhecimento e auto-aceitação, até que chegou o momento de assumir para mim mesmo o fato de ser gay e, inevitavelmente assumir a situação publicamento (e o meu blog tem sido uma ferramenta ótima pra isso).
Ogulho de ser gay? Não. O meu orgulho é de hoje em dia ser verdadeiro, poder viver plenamente o meu afeto e minha sexualidade, obtendo de cada segundo da minha vida o maior prazer possível.
Creio que a importância do "dia do orgulho gay" está em virmos a entendê-lo como o "dia sem qualquer vergonha de ser gay". Creio que ae tudo se justifica.

Percebe agora caro leitor a importância em se aceitar, pois não á vergonha alguma em ser gay. O dia do orgulho gay deveria mudar de nome e ser intitulado "Dia da vergonha hetero", pois se existem gays reprimidos é culpa desta sociedade opressora, e se todos vivessem a sua vida não se importando com a alheia não precisaria existir Dia do orgulho gay e não haveria a necessidade deste tipo de manifestação ou da minha indignação neste artigo.

Portanto, faça valer os teus diretos, denuncie qualquer tipo de violência e fique atento que a parada gay de São Paulo acontecerá no próximo dia 14 de Junho com o tema: "Sem Homofobia, Mais Cidadania - Pela isonomia dos direitos".









terça-feira, 26 de maio de 2009

EX GAY

É impressionante como de uns tempos pra cá, tornou-se cada vez mais comum ouvirmos falar de ex-homossexuais. Homens e mulheres que dizem terem encontrado a "cura" para a homossexualidade, depois que frequentaram algumas reuniões ou terapias individuais e de grupo em instituições ligadas às igrejas evangélicas no Brasil.

Estes grupos que promovem a chamada "reversão" da homossexualidade utilizam métodos que vão desde a regressão ao condicionamento psíquico em vistas de obter o objetivo. Em reuniões de grupo, promovem palestras, propagandeando teorias psicologizantes que não encontram respaldo teórico para seu embasamento. E todos estes grupos são unânimes em dizer que o homossexual masculino é fruto da influência de uma mãe autoritária e de um pai ausente (hum.. conta outra!.. Freud já disse isso com mais elegância... rsrsr). E é também comum dizerem que a homossexualidade é consequência de abuso sexual infantil ou de experiências não bem sucedidas com pessoas do sexo oposto, ou seja, acham que todo gay é um hétero frustrado na cama... (Aaaa... se eles soubessem o quanto agente se realiza em uma!!) rsrsrsrs.... Para eles galera, homossexualidade é comportamento adquirido e as pessoas não são homossexuais, mas "estão" homossexuais e, por isso, podem deixar a homossexualidade. Querem dizer que estamos doentes e precisamos de cura... (huhum...."tratamento" neles e não em nós!! rsrsr).

É mais forte do que eu informar este povinho que o Conselho Federal de Psicologia do Brasil, na Resolução 01/1999, estabelece em parágrafo único que os psicólogos brasileiros não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades. Porque segundo os própios a homossexualidade não é doença, distúrbio e perversão. Por isso, não pode ser "curada" nem "reorientada". Galera saibam que desde 1973, a homossexualidade deixou de ser classificada como doença pela Associação Americana de Psiquiatria, sendo retirada do CID (Código Internacional de Doenças) na mesma época.

Portanto,os profissionais (aqueles dentro destas igrejas) que promovam ou prometam a tal reversão devem ter seus direitos de exercerem a profissão cassados, pois o que fazem desobedecem as normas que regem suas atividades profissionais. Usam de métodos falaciosos, não mais em vigor, desatualizados, para promoverem seus engodos. O que fazem coloca em risco a saúde mental e até mesmo as vidas de pessoas que ainda não encontraram estabilidade emocional para assumirem suas sexualidades. Não estão a serviço da ciência, estão a serviço de uma fé pervertida e de uma igreja evangélica homofóbica, que precisa ser combatida e desmascarada cada vez mais.

A existência deste tipo de coisa coloca em risco a saúde mental e física de milhares de homossexuais. Porque ninguém fica gay, não trata-se de uma opção ou escolha, as pessoas precisam entender isso de uma vez por toda!!!
Ex gay só existe em novela e mesmo assim ninguém acreditou naquilo que retratou a novela "A Favorita" da rede Globo, bola fora demais...





Seriado "Cariocas"

Produzida pela Cabiria Entertainment, com sede em Los Angeles, a série "caRIOcas" utiliza casting 100% nacional para narrar as vidas de personagens aparentemente comuns que têm a mesma orientação sexual (gays). A trama do programa, que está em fase de pós-produção, traz histórias impactantes e polêmicas, como toda boa série de TV.

Segundo o criador e diretor da série, André Mello, que também assume as funções de ator e produtor, "caRIOcas" pretende ir na contramão das produções brasileiras, que ainda dão pouco espaço à temática LGBT. A ideia surgiu em parte da sua frustração com a televisão brasileira e com a falta de programação voltada a esse público, e por isso ele teve vontade de documentar a vida dos homens gays no Rio de Janeiro e no Brasil.

Os protagonistas de "caRIOcas" são Rodrigo (André Mello), um escritor que volta a morar no Brasil após anos trabalhando nos Estados Unidos; Marcos (Luciano Sant´Anna), dono de um salão de depilação; Paulo (Marcello Melo Jr.), jogador de vôlei de praia; Caio (Dionis Tavares), assistente de Paulo e apaixonado pelo chefe; Felipe (João Victor Lima), ex-namorado de Rodrigo que faz de tudo para conquistá-lo novamente; e finalmente Léo (Sérgio Menezes), militar casado que vive uma relação hétero e, ao mesmo tempo, tem um affair com Marcos.

O personagem de Rodrigo é a síntese do que a série irá mostrar: o fato de que homossexualidade pode ser sim encarada com mais naturalidade. Pois a personagem Rodrigo evita o Brasil a todo custo porque não se sente à vontade no seu próprio país. Assim, ele ficará ansioso para acelerar a 'evolução' da mentalidade dos cariocas e acaba se complicando, fazendo que o assistente de Paulo, Caio, adolescente do subúrbio do Rio, seja expulso de casa pela mãe evangélica.

Com previsão de estreia para o ano que vem, o piloto de "caRIOcas" foi apresentado para canais pagos como a Multishow e GNT. Vamos torcer para que comprem a ideia, pois a TV precisa mostrar personagens gays de forma mais explícita e menos estereotipada, inclusive exibindo beijos entre eles. Acho o fim que o gay só seja retratado de forma cômica e ridícula, precisamos mudar isso urgente! Ta ae então uma boa esperança de mudança com esta nova proposta de seriado pra Tv... AMEIII!!!

Confira o trailler:

domingo, 24 de maio de 2009

Banheirão

Nunca tentei ser um moralista, nem tenho currículo para isso, mas existem alguns comportamentos que não concordo e mantenho distância. Dias atrás estava falando com um amigo sobre banheirão, ele me perguntou se eu já fiz e minha resposta foi não, e um dos motivos é porque não concordo com a abordagem que é feita nos banheiros. A cena é típica: entramos no banheiro e vemos todos os mictórios lotados, vamos ao reservado, lavamos as mãos e observamos que as mesmas pessoas que estavam no mictório quando entramos no banheiro, ainda encontram-se lá, todas olhando para você como se você fosse uma carne de açougue em exibição.



Certa vez fui ao banheiro do Shopping Dom Pedro aqui em Campinas e fiquei surpreso com o buraco na divisória do reservado, era um buraco grande que cabia uma mão, sem contar nas mensagens que estavam nas portas dos banheiros, tipo: Como sua mulher / Está a fim de dar? / Quero neca de negão / Dou e chupo / Me come... entre outras. Parece que Perdeu-se a magia de paquerar, de flertar, o sexo é mais rápido do que a paquera, já vi comunidade de Orkut onde os participantes marcam encontros em banheiros, as pessoas se esquecem que vivemos num mundo de imagem (como disse num post anterior aqui no meu blog), não podemos negar isso e dizer que isso não é importante. Vendemos uma imagem para a sociedade, quando ela é negativa pagamos um preço alto por isso. O que há de errado em ver uma pessoa interessante no banheiro, sair do banheiro e ir para um motel fazer sexo? Porque o sexo tem que ser praticado no banheiro?


No ato do banheirão o direito coletivo sobrepõe o individual, e nenhum individuo tem o direito de fazer sexo num banheiro coletivo, não se pode expor crianças à visualização de tais cenas. Estamos vendo o desenrolar da CPI da Pedofilia, aliás eu sou a favor da criação de banheiros infantis em locais públicos.




"Não sou contra o banheirão, sou contra o tipo de abordagem, sou contra a degradação da imagem que tal ato gera". O banheiro pode ser palco de um encontro, duas pessoas podem se ver e se interessarem uma pela outra no banheiro, mas não pode ser berço para o saneamento da fome sexual de dois indivíduos: o banheiro é público, de todos, e o restante da sociedade não é obrigada a compactuar os atos "viris" e sexuais de outros indivíduos. Quero entrar num banheiro e não ver o apelo sexual, pretendemos uma sociedade de Direito, e devemos nos portar como tal, existem tantas saunas e cinemas onde a pegação é mais proveitosa e assertiva, não entendo o porque perde-se tanto tempo em banheiro. E, de quebra, joga-se na lama a imagem de toda uma luta homossexual para a construção e participação nesse Direito.

sábado, 23 de maio de 2009

"Do começo ao fim"

Fiquei sabendo esta semana do longa “Do Começo ao Fim” que conta a história de dois irmãos que vivem um amor incondicional, nada tradicional e inaceitável aos olhos da sociedade, com um pouco de homoerotismo como disse o site “UOL”, o diretor Aluízio Abranches, ao meu ponto de vista (analisando o trailer) soube levar bem o tema.



Galera, vamos parar e refletir nesse avanço no cinema Brasileiro, alguém aí imaginava um filme homossexual tratando do caso de irmãos incestuosos no BRASIL? Eu acho que já era hora e super indico, mas sinceramente não esperava um tema tão polêmico. Se bem que... eu acredito que a relação incestuosa retratada não é mais polêmica do que o fato de serem dois homens. "Já li comentários indignados sobre o filme por causa do incesto, mas tenho certeza de que o que incomodará mais as pessoas será o fato da relação ser entre dois rapazes. A homossexualidade é muito mais tabu que o incesto entre irmãos", esperem pra ver e guardem bem o que eu digo!!!

Contudo, agora é deixar as criticas,elogios e bafos (não podia deixar o lado mona morrer) acontecer, tenho certeza que isso não vai faltar. O filme está em fase de finalização e deve ficar pronto em três meses, e ainda não tem data de estreia definida, por isso fiquem de olho!!!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Além da estética

Você gostaria de saber se uma pessoa realmente gosta de você? Então, deixe essa pessoa livre, deixe a ir embora e se ela voltar é porque ela realmente te ama.

Semana passada, assinti o filme que pasou na Tv a cabo "A Bela e a Fera" e me lembrei desse ocorrido. Na apresentação, em determinado momento a Bela confessa a Fera que sente saudades do seu pai, ele olha para ela e diz: Bela, você não é mais a minha prisioneira, pode ir ver o seu pai. Ela foi, mas depois voltou porque o amava. Ela conseguiu enxergar além da aparência física e viu que aquela Fera, por dentro era belo e se apaixonou por sua essência.

Às vezes me pergunto se existem pessoas que ainda dão valor para a essência, para o interior do individuo. Vivemos num Mundo que valoriza tanto o industrializado, o esculpido e o preestabelecido como padrão, que a cada dia invertemos ainda mais os nosso valores. O que as siliconadas farão quando a moda não for mais o peitão? Ou melhor, o que farão os indivíduos que valorizam o artificial diante de uma oportunidade única de amar e ser amado? Provavelmente deixarão essa oportunidade passar sem se darem conta do que deixaram escapar por suas mãos.

Temos que valorizar as mais simples situações, pois serão delas que nos lembraremos pelo resto de nossas vidas e só uma pessoa bem cuidada por dentro, com uma beleza interior aflorada tem discernimento de reconhecer quais situações são essas e em que momento elas acontecem. A beleza exterior faz muito bem, mas do que ela vale quando o que somos por dentro desconstrói a nossa beleza estética?

UMA NOVIDADE FORTE


AGORA VOCÊ TAMBÉM PODE ACOMPANHAR AS MATÉRIAS DO MEU BLOG ATRAVÉS DO SITE DA SOGO NA COLUNA "SÓ GALENI".





CONHEÇA A SOGO
A SoGo, nasceu há exatos dez anos (o que prova a tradiação da casa) nos Jardins, local que, na época, era o reduto dos bares e clubes mais modernos do país. O formato da casa - underground, mas localizada no coração dos Jardins - conquistou gays e simpatizantes, que encontraram nos três andares do casarão, com fachada de época e muito discreto no seu exterior, um espaço para liberar as fantasias e dançar muito.

Com seu forte apelo para o house tribal, que não deixa ninguém parado, a SoGo sobreviveu aos novos ventos musicais, mas entendeu que o momento é dar um passo à frente. Portanto, neste começo de 2009, foi colocado em ação um plano de reformulação da casa, com mudança tanto na estrutura do prédio quanto no formato de suas noites. "Vale a pena conferir a nova Sogo". Visite o site e conheça todos os detalhes!!!

www.sogo.com.br
Al. Franca 1368 - Jardins - São Paulo/SP - Tel.: (11) 3061-1759 / (11) 3088-5737

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Segundos para um homem se apaixonar.

Se você é daqueles que "pega e não se apega", que adora a vida de solteiro, nem pensa no clássico "tô me sentindo muito sozinho, porque você não cola em mim", de Peninha, e está mais para o funk "hoje eu tô solteiro(a) e ninguém vai me segurar" estão veja este estudo abaixo:

Você sabia que bastam 8,2 segundos para um homem ficar apaixonado, segundo os cientistas reportaram ao periódico "Archives of Sexual Behaviour". As informações são do jornal britânico "Daily Telegraph". Em um experimento com câmeras escondidas, pesquisadores analisaram o movimento dos olhos de 115 estudantes, enquanto eles conversavam com atores e atrizes. Depois disso, os voluntários tinham que dar uma nota para cada pessoa com quem tinham falado. Os homens olharam para as atrizes que eles consideraram mais bonitas por uma média de 8,2 segundos. Para as menos atraentes, o olhar durava apenas 4,5 segundos.
Já entre as mulheres não houve essa variação. Ou seja, elas olharam da mesma maneira para os homens que consideraram mais e menos atraentes. De acordo com o jornal, pesquisadores acreditam que homens usam o contato visual para procurar parceiras potencialmente férteis, enquanto as mulheres são mais prudentes no olhar, talvez pelo receio de se tornar mães solteiras. rsrsrsr"

Escuta, deve ser por isto que os homens, inclusive os gays, transam mais!
Eles são muito mais "ligados no físico"! ops... quer dizer... "se apaixonam mais fácil"! rssrsrsrs...

Aposentem a Maisa

Faz um tempinho já que eu queria escrever sobre Maisa. O motivo de meu interesse por sua história, no entanto, tem menos a ver com a menina engraçadinha e precoce de tiradas surpreendentes, e mais com o fenômeno em que a transformaram. Mas foi exatamente por encará-la desta maneira, como fenômeno, que por vezes encontrei motivos para adiar o texto. E, toda vez que ela apronta uma das suas, minhas mãos coçam. As frases estavam prontas, na ponta dos dedos, querendo escapulir, e eu deixava passar.

A hesitação se justifica pelo fato de que Maisa representa ainda um personagem em construção; Como entender ou mesmo opinar sobre o que não está completo, o que se encontra em constante evolução?

A bem da verdade, quando bati meus olhos naquela garotinha espevitada em um programa de calouros- que nem 3 anos tinha - torci por um deslize que a conduzissem à figura da qual alguém com sua idade nunca deveria se privar. Ao invés disso, não tardou para que encontrassem nela todo talento que se esperava. A espontaneidade ímpar garantiu-lhe quem bancasse a façanha de atribuir a uma criança o fardo de responsabilidade inerente à apresentação de um programa transmitido ao vivo. Maisa cantou, dançou, falou abobrinhas e tirou da cartola coelhos que nem poderia supor ter.

E enquanto a menina consagrava-se campeã de hits na internet, seu patrão, dono do Baú e de um aguçado tino para farejar os rastros da audiência, percebeu o quanto poderia se valer do “fenômeno” Maisa. Pois aos domingos, tornaram-se tradicionais as sabatinas aplicadas à pupila, assim como o hábito de submetê-la a debates improdutivos e inapropriados para quem mal fora introduzida às letras.

Nos últimos dois encontros o protocolo parece ter mudado. Em ambas as ocasiões Maisa saiu de cena aos berros, deixando para trás o reconhecido profissionalismo, na busca desesperada pelo colo da mãe. Seria este um sinal de alerta? Primeiro apavorou-se com um menino fantasiado de monstro, depois ressentiu-se do pito que Silvio sapecou-lhe por ter se portado como “um bebê” na semana anterior. As ocorrências despertaram a atenção dos órgãos responsáveis, tanto que a atração agora encontra-se na berlinda do Ministério Público, ameaçada de sair do ar.

O desfecho do caso é promessa de polêmica como, alias, costuma ser característico dos episódios que envolvem o veterano comunicador. Só espero que os responsáveis ponderem com seriedade sobre a questão, e considerem a possibilidade de Maisa estar, a seu modo, pedindo socorro. Quem sabe as atribulações da vida artística, iniciada tão cedo, estejam pesando demais? E depois, o que virá? Que papel caberá à Maisa se amanhã descobrirem um engolidor de bolas, tacos e mesas de sinuca, ou um cachorro que cante músicas do Roberto Carlos? Mesmo que nada disso aconteça, será que Silvio ainda terá interesse em chamá-la para conversar quando as madeixas crespas, as espinhas e o corpo espichando perverterem sua aura infantil?

É por estas e outras que não me oporia a quem porventura defendesse sua aposentadoria imediata. Bem-vinda seria a sentença que a destinasse a brincar e estudar apenas, como todas as outras crianças!!!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Assunto sensível

Hoje, estava eu acompanhado do meu pai a ouvir as notícias do dia no carro durante o caminho para o trabalho, quando surge a notícia do livro recentemente editado "O Livro de Pedro", de Manuela Bacelar...
Para nossa surpresa, trata-se de um livro infantil que aborda a história de uma criança com dois pais, e foi por isso publicitado como sendo o primeiro livro infantil portugês a abordar a homossexualidade.
É com certeza um assunto polémico e gostaria muito de saber quais os pais que irão comprar aos seus filhos este livro para ler... No entanto, e é isso que motivou este post, foi o facto de ambos, eu e meu pai, termos ouvido a notícia em silêncio... A notícia terminou e o silêncio continuou... O meu pai não tocou no assunto e eu achei por bem também não o fazer! Mas o que terá ele pensado naquele momento, ao escutar que alguém escreveu um conto infantil com uma criança que tem dois pais? Fiquei na dúvida e curioso mas não tive coragem de o interpelar sobre o assunto...

Talvez mais tarde...

E lembrando do meu post anterior em que falo sobre a complexidade do relacionamento gay, talvez esta autora tenha lido a parte em que indago o fato de não existirem literaturas para o meio gls... será que to podendo tanto assim? rsrsrssrr

Reconhecimento.

É mais forte do que eu estar muito feliz, pois o blog está um sucesso e graçás ao carinho dos amigos e desconhecidos!! Muito obrigado á todos!!!

E hoje vai um agradecimento em especial para o novo e querido amigo Nuno Botelho, que esta semana citou meu blog lá na sua coluna "Tchello".

Para quem não conhece, Nuno Botelho além de um aquariano como eu, é produtor executivo das festas R:EVOLUTION e THE ORIGINAL BRAZILIAN POOL PARTY, ele vive há nove anos entre o Rio de Janeiro e Milão. Muitos garantem que ele tem carisma de sobra para lhe dar com o público nos grandes eventos (e eu tenho certeza disso tb e assino embaixo minha gente).


Dica forte galeraaaa... vem forte comigo nesta idéia e acessem o link abaixo pra saber mais!!!


http://www.tcello.com.br/colunistas-materias.php?idColunista=8&Colunista=Nuno_Botelho

terça-feira, 19 de maio de 2009

Out & About - mega dica

Num domingo destes, assistindo na Tv aquelas babaquices (nem vale a pena falar o nome dos programas rsrs) que as grande emissoras de canal aberto transmitem, fiquei "enojado" e me bateu uma saudade de ver coisas interessantes como era o programa Out & About por exemplo.

Pra quem não conhece, aos domingos do ano passado, o canal Multishow, da Globosat, passava o programa australiano Out & About, que mostrava dicas 'gay friendly? E entrevistava personalidades da cena GLS em grandes cidades do planeta.

As atrações de cada episódio eram comandadas por Gabriel (o atrevidinho do programa), Kate (uma Dj norte americana) e o australiano Marc (todos integrantes originais) e apresentadas em português por Letícia Menetrier, uma simpática brasileira lésbica radicada em Buenos Aires (foto á dir.).

A intenção de Out & About era mostrar mais do que apenas pontos turísticos e dicas de vida noturna em cada cidade, era mostra o dia-a-dia de profissionais gays reconhecidos em seus ramos de atuação, além de trazer curiosidades de temática GLS - o que tornava o programa realmente interessante e divertido
.

Me lembro bem que no primeiro episódio dedicaram à Paris e foi muito legal. E os próximos destinos eram Miami, Amsterdam, Estocolmo, Melbourne, Los Angeles, Mikonos e Berlin.

Inesquecível também eram as entrevistas do gatíssimo apresentador Marc (na foto á esquerda)... como uma em que assisti uma vez dele com uma transexual chamada Galia, uma figura que aos domingos promovia festas para cerca de duas mil pessoas na boate Le Queen (quem já foi sabe que a boate é mesmo enorme e que por lá rola de tudo!).

O mais bacana de Out & About, era que o programa apresentava uma imagem positiva de "gays, lésbicas e todo mundo que se encaixa no meio", e sem pedir desculpas por tentar colocar toda esta "fabulosa diversidade" em um só lugar. Posso dizer que, se você gosta de gays e lésbicas, deve assistir ao programa. E se não gosta, também.

Pena que a temporada de 13 episódios da Multishow já se encerrou, mais se você quiser dar uma conferida, acredito que ainda consegue encontar algo lá no you tube, afinal lá se acha quase tudo.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

A complexidade do relacionamento gay

Um outro dia um amigo me disse: "relacionamento gay é muito complicado?"... ae esta dúvida foi mas forte do que eu... fiquei pensando sobre o assunto e cheguei a seguinte conclusão:

Para responder essa questão é preciso lembrar que relacionamentos, tanto faz se entre héteros ou entre gays, são sempre complicados. Porém, os gays são também obrigados a lidar com muitas outras dificuldades além das enfrentadas por todo mundo. A mais séria, a meu ver, é a homofobia internalizada. Desde muito cedo aprendemos, entre outras coisas negativas, que.. relacionamentos homossexuais não têm futuro. Que são baseados apenas na satisfação imediata pelo sexo, sem fins de procriação e sem função na sociedade, esses relacionamentos são vistos como narcisistas e imaturos. Os gays crescem sem ter a oportunidade de explorar sua afetividade e sexualidade de forma natural e espontânea, como fazem os héteros, e passam a acreditar que sua diferença está irremediavelmente associada à solidão e ao abandono.

Como essas crenças estão, na maior parte das vezes, no nível inconsciente, eles tendem a buscar fora deles as causas para seu fracasso em obter e manter relacionamentos significativos. "Os gays (os outros, é claro!) só pensam em sexo" ou "ninguém quer nada sério" não são meras constatações da realidade que os cerca, mas indicadores poderosos da sua homofobia internalizada.

Um outro sintoma importante da homofobia internalizada é o valor positivo que se costuma dar aos "fora do meio". Esses costumam ser vistos como "superiores", como uma casta que não se mistura com a massa "promíscua" e "fútil" da qual se constitui o mundo gay. Ora, se vive "fora do meio" e rejeita aqueles que são como ele, como fazer para encontrar um parceiro e para estabelecer um relacionamento que se sustente sem os apoios familiar ou social? (situação parecida ocorre com mulheres que só têm amigos gays e se queixam de não conseguir arranjar um namorado).

Outra dificuldade inerente aos relacionamentos gays tem a ver com os papéis de gênero (masculino e feminino), ou seja, os comportamentos e atitudes que a sociedade estabelece para cada um dos gêneros, e que nos são impostos primariamente pela família e pela escola. Os meninos são incentivados a serem fortes e competitivos, a evitarem demonstrações de afeto e a explorarem sua sexualidade de forma mais livre do que as meninas. Com isso, aprendemos pouco sobre como expressar sentimentos e dividir nossa intimidade. Por outro lado, desenvolvemos uma identidade fortemente apoiada na sexualidade e na disputa pelo poder. Como um relacionamento gay envolve necessariamente dois homens, essas características de gênero tendem a ser uma fonte adicional de conflitos.Impossível falar sobre relacionamentos gays sem tratar da questão da "invisibilidade". A maioria dos gays cresce em famílias heterossexuais e passa boa parte da infância e da adolescência sem sequer conhecer um casal gay (abertamente gay e/ou abertamente casal).
Mesmo depois de terem se assumido e passado a conviver com outros gays, não é muito freqüente encontrarem casais gays estáveis e visíveis. Muitos escolhem se "misturar" com os héteros e viver uma vida longe da comunidade gay; ou porque sentem-se, de alguma forma, ameaçados na sua segurança, ou porque acreditam que o modelo de casal não é compatível com o estilo de vida gay (de novo a homofobia!).

Além disso, a ausência de modelos públicos (como na mídia, por exemplo), a falta de literatura específica sobre o tema (quantos livros sobre relacionamentos gays você conhece?) e de especialistas em aconselhamento para casais gays, torna essa empreitada uma aventura ainda mais solitária.Quando um casal hétero se forma, "os céus dizem amém". É possível, e muito desejável, que o casal compartilhe sua felicidade com a família e os amigos. Quando se depara com as dificuldades naturais dos relacionamentos, encontra apoio e ajuda para resolver os problemas. Quando se separa, além dos ombros de familiares e de amigos para chorar, o casal terá provavelmente a compreensão de todos à sua volta, assim como todos os recursos que a sociedade heterossexual lhe oferece.
Para o casal gay "invisível", a maior parte desses privilégios será negada (como por exemplo usar uma aliança de namoro com o nome do amado gravado ou mandar flores no trabalho, etc). Pois como justificar para a família ou para o chefe no trabalho a alegria ou a tristeza do momento? Como enfrentar as crises inevitáveis sem o suporte daqueles que estão próximos? Onde buscar ajuda de forma segura e confiável?Além dessas dificuldades mais específicas, gays, assim como héteros, trazem para seus relacionamentos uma bagagem emocional complexa que se forma, a partir dos primeiros anos, na relação com os pais (Freud explica) e se consolida por meio das experiências de vida.

E olha que mesmo com todas estas dificuldades (longe de mim querer fazer apologia á qualquer tipo de sexualidade), já é possível enchergar vantagens no relacionamento gay, pois segundo o Instituto de Pesquisa Rockway, de San Francisco, relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo são mais saudáveis que entre heterossexuais, você acredita?
Uma série de estudos revelou que pessoas que se relacionam com outras do mesmo sexo têm maior probabilidade de relacionamentos maritais e familiares do que aquelas em um relacionamento hétero. Robert Jay, diretor executivo do Instituto Rockway disse que a flexibilidade de gênero dos papéis desempenhados pelas pessoas em um relacionamento gay e a divisão igualitária nas questões domésticas e familiares resultam em relacionamentos mais saudáveis que aqueles heterossexuais apoiados em moldes antigos.

Tão vendo??? Então "vamo" namorar minha gente!!! Seja gay ou hétero, o importante é ser feliz no relacionamento!!!
E como curiosidade, ta ae um vídeo interessante que meu amigo Eduardo Salim me enviou que fala do porquê de usar a aliança de compromisso no dedo... muito interessante a explicação, vale a pena conferir.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Orkut dos Ricos

Chega ao Brasil o Elysiants, comunidade on-line só para quem pode celebrar a vida em grande estilo.

Houve um tempo em que o bacana era colecionar centenas de amigos em redes sociais como Orkut e Facebook – mesmo sem conhecer metade deles. O número de contatos virtuais era um termômetro de popularidade e status: quanto mais gente na lista de amigos, mais legal era o dono do perfil. Pois é... Era!!!
Legal, agora, é ser “seletivo” – adjetivo predileto dos endinheirados nos dias que correm. Primeiro, esse conceito dominou festas e casas noturnas. Agora, rompendo o igualitarismo, os ambientes restritos chegaram à internet. Nesta semana, começa a operar no Brasil uma comunidade de luxo on-line chamada Elysiants, na qual só entram convidados. É o Orkut dos ricos. Como um negócio me parace fantástico, mais do ponto de vista social trata-se de um grande atraso, verdadeiramente um nado contra a maré da igualdade social!!!

Com sede em Hong Kong, o site tem 15 mil usuários e opera em Curaçao, Dubai e, agora, São Paulo. Os próximos lançamentos serão em Beirute, Abu Dhabi e Miami. O que esses locais têm em comum, além de certa cafonice? “Há muitos jovens que recentemente ganharam bastante dinheiro. São Paulo é a cidade onde mais se vende Louis Vuitton. Há muitas pessoas no Brasil que se identificam com o estilo de vida de nosso site”, diz Ronald de la Fuente-Saez, de 34 anos, um dos fundadores do Elysiants. Ele nasceu na Holanda, cresceu em Hong Kong e hoje vive no Caribe (na ilha de Curaçao). Fuente-Saez não quis revelar o valor do investimento no site (“Foi uma quantia obscena”) nem quem são os brasileiros que farão parte de seu clube, aproximadamente 600 nomes foram convidados para a festa de lançamento do site. Ela aconteceu nesta terça-feira, 12, na seletíssima casa noturna Pink Elephant, em São Paulo. Estavam na lista nomes como os estilistas Valdemar Iódice e Carlos Miele, os empresários João Paulo Diniz e Astrid Monteiro de Carvalho e o casal Bruno Gagliasso e Heleninha Bordon. E já participam da rede: o jogador Ronaldo, Daniela Cicarelli, Luciana Gimenez, Rico Mansur, Ricardo Almeida, entre outros famosos.

Os convidados não pagam para usar o site. São empresas ligadas ao “estilo de vida celebrativo” – Ferrari, Diesel, Prada, Veuve Clicquot, entre outras – que dão viabilidade econômica ao projeto. Elas pagam para estar lá e se conectar diretamente com seu público-alvo, de alto poder aquisitivo. O nome escolhido para a rede social, aliás, não deixa dúvidas sobre sua natureza. Elysi vem de Champs-Elysées, avenida de Paris famosa por suas lojas de artigos luxuosos. E ants significa formigas, na tradução do inglês – animais cuja comunidade, segundo Fuente-Saez, está entre as mais seletivas do mundo.

Por trás da iniciativa empresarial, há pesquisas que mostram que as pessoas – sobretudo as ricas – não estão interessadas em quantidade de contatos, mas em qualidade. “Criamos uma rede social menor, em que os participantes possam se relacionar com quem tenham realmente afinidade”, diz o empresário. Enquanto a média de contatos no Orkut é de mil pessoas por usuário, no Elysiants ela está em torno de 30. “O Facebook ficou popular demais”, diz a relações-públicas Fernanda Barbosa, que já faz parte da comunidade exclusiva. Outro usuário, o empresário Giulianno de Lucca, dono da Pink Elephant, sofre para barrar os indesejados que gostariam de participar da comunidade de sua casa noturna no Facebook. “Muita gente não tem o perfil que a gente quer”, afirma ele. “No Elysiants, as pessoas já estão pré-selecionadas.”

Para lançar o site em grande estilo, os sócios fizeram uma festa memorável. Os convidados que confirmaram presença foram apanhados em casa com automóveis BMW. O bufê foi preparado pelo chef do hotel Grand Hyatt. Foi tudo na faixa, só o champanhe pago – e a renda foi doada para uma instituição de caridade, afinal, alguma coisa tinha que ser feita para limpar a barra da hipocrisia.

Os sócios do Elysiants quizeram quebrar na festa um dos recordes de ostentação da noite paulistana. É assim: na Pink Elephant, cada vez que se pede um champanhe Veuve Clicquot Jéroban (de R$ 2.800) ou dez garrafas de Clicquot normal (R$ 485 por garrafa), a mesa que fez o pedido vira o centro das atenções. É iluminada por um canhão de luz e a presença do cliente perdulário é anunciada nos alto-falantes. Tudo isso ao som do tema do filme Super-Homem. Essa música já foi tocada duas vezes em uma noite para o mesmo cliente. O site que tem por mote “celebrar a vida com estilo” conseguiu tocar mais vezes nesta terça-feira.

Infelizmente isso mostra que a desigualdade é mais forte do que eu ou você... Não há o que comentar. Normal, natural. Pobre é pobre e rico é rico. Em qualquer parte do mundo é assim, e não vai ser hoje ou amanhã ou nunca que vai mudar. Só na cabeça de hipócritas que acham e que falam em igualdade social. Isso não existe. O que existe é igualdade entre os ricos e uma outra igualdade entre os pobres. A gente tem que entender, que o Brasil é muito preconceituoso no que diz à ricos e pobres. Tudo é muito separado. Ricos aqui e pobres ali.O que aconteceu agora não foi nenhuma surpresa. Orkut se tornou popular. A massa o tem. Desde quando ricos usam o mesmo serviço que os pobres? Por isso eles criaram um espaço na web só para eles. Esse tipo de atitude mostra claramente que estamos longe do que deveríamos estar mais perto: da igualdade social.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Na onda das frutas

O funk carioca normalmente nos brinda com tendências que beiram o absurdo. Lógico que em 2008 e 2009 não poderia ser diferente, né? Atualmente, o país foi invadido por uma onda de mulheres-fruta. É mulher isso, mulher aquilo, e muita gente ainda não sabe direito quem são, nem de onde saíram essas figuras que estão povoando o imaginário popular. E aproveitando a deixa do artigo anterior, são elas tb as campeãs em abusar do photoshop para os retoques em fotos, pois a maioria sem o uso desta ferramenta são um horror!! rsrsrr

Não contentes com a mulher melancia, morango, banana e até filé... advinhem o que vem agora?... certamente você vai passar longe do novo nome que inventaram, eu mesmo confesso que jamais imaginaria! Acreditem se quiser, vem ae a "Mulher Caviar".

O que você acha deste novo nome? Será que só eu é que acho um absurdo? Tipo, caviar é ovo de peixe, e com o devido perdão a quem porventura goste da iguaria, é uma coisa fedida e asquerosa (pelo menos aquele que eu provei era). Então como é que uma pessoa, um ser humano, com seus 46 cromossomos, que foi concebida, gerada durante 9 meses, alimentada por seus pais e crescida pela natureza, tem orgulho de auto-denominar “mulher caviar”? O que será que aconteceu? Acabaram as frutas disponíveis no mercado? Ou já que caviar é mais caro, a pessoa pensou que desta forma iria se valorizar?”“Será que a mulher caviar é caviar pq tem espinhas na cara? pq tem furúnculos por todo o corpo? não consegui visualizar a estratégia de marketing dessa pobre coitada…”


E olha que falar deste assunto não é só mais forte do que eu não... tem até gente famosa falando disso, como é o caso da nossa conhecida Preta Gil.


Em fase de produção do seu primeiro DVD e fazendo shows no exterior, Preta Gil tem tido pouco tempo para postar em seu blog (que por sinal é muito legal e tô sempre de olho), mas foi só o vôo que a levaria para Cabo Verde ser cancelado – para ela ir correndo escrever.O tema de seu último post serviu para festejar a popularização das mulheres frutas, ou melhor, das mulheres curvilíneas na mídia.



Disse Preta Gil:
“Entrei na internet, e me deparei com fotos da
Mulher Filé na praia. Ela é somente uma das carnes do meu rodízio! Adoro! Onde isso vai chegar? Apesar de ter minhas críticas a esse fenômeno das mulheres frutas, o que vejo de fato, é o que eu já sei há muito tempo: mulher brasileira é boa! É gostosa, tem carne, tem bundão, tem coxão e muitos outros 'ões'!”, e escreveu ela para desabafar em seguida:
“Fui criticada, sacaneada, e por que não dizer, humilhada, com piadinhas sobre minha forma física por ser justamente esse tipo de mulher. Agora, vejo mulheres com o corpo igual ou parecido com o meu, sendo admiradas pelos homens e, principalmente, taxadas de gostosa pela mídia. O que será que aconteceu? Quem mudou?”, deixou Preta esta pergunta disfarçada de crítica no ar.

Então, espantado com esta “Nova Ova, ops… onda de mulheres com nome de fruta e de comida chique”, fico imaginando qual será o próximo tipo de Mulher: Mulher Caranguejo (aí vc tem que tomar cuidado pra ela não te cortar), Mulher Tomate Seco, Mulher Lagosta… e a Melhor de Todas: Mulher Escargot!!

E confesso ainda que eu tenho muito medo que esta onda também pegue para os homens, já pensou? Homem abacaxi, homem kwi (peludo por fora e fruta por dentro), etc ... rssrsr.

Já que entrei nesta viagem de hortifrutimulher te pergunto: que tipo de fruta você seria? Eu já tenho a minha!!... rsrs

terça-feira, 12 de maio de 2009

Os milagres do photoshop e da maquiagem


Por mais que as normas de etiqueta e o cotume dos bons modos digam que falar mal da vida dos outros é muito feio, tenho que confessar que ás vezes é bom fazer isso, desculpem-me mais é mais forte do que eu ás vezes, pois é um ótimo passatempo, na maioria das vezes é divertido e no caso deste artigo pode fazer agente se sentir muito melhooorrr!!! rsrsrsr

Todos nós sabemos que vaidade faz bem, e que todos gostam de se arrumar para sair ou tirar uma foto. Mas não tinhamos idéia dos milagres que os maquiadores e principalmente o pessoal do Photoshop conseguem fazer.
A redenção das mulheres normais e a decepção de muitos marmanjos é ver este tipo de vídeo. Afinal de conta ninguém pode ser estonteantemente bela o tempo todo e muitas das vezes as famosas celebridades nem são tão belas o quanto parecem. A maquiagem, sem sombra de dúvidas, é a melhor amiga destas mulheres e o Photoshop um grande parceiro íntimo!!!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

É mais forte do que eu gostar da lady

Lady Gaga


Stefani Joanne Germanotta (Nova Iorque, 28 de Março de 1986) mais conhecida como Lady GaGa, é uma cantora americana de dance-pop e electrônica. O sucesso de Lady GaGa com o seu primeiro álbum The Fame, já pode ser observado em todas as paradas mundiais. O seu primeiro single, “Just Dance” , alcançou o número 1 em várias paradas musicais do mundo, inclusive na Billboard. “Poker Face”, segundo single de GaGa, chegou ao 1º lugar em todas as paradas musicais oficiais do planeta, com exceção de Portugal e Itália.

Biografia:
Quando criança, Lady GaGa freqüentou a escola privada Convento do Sagrado Coração, onde aprendeu a tocar piano e teve conhecimento do mundo da música. Aos dezessete anos foi estudar música na Universidade de Artes de Nova York. Antes de se lançar como cantora, Lady GaGa escrevia canções para artistas da Interscope como o grupo americano Pussycat Dolls.
Em 8 de Abril lançou seu primeiro compacto, “Just Dance”, junto a um EP com 3 músicas (Beautiful Dirty Rich, Dirty Ice Cream e Rock Show).No Dia 13 de Julho, apresentou-se no Miss Universo 2008, no Vietnam, cantando seu primeiro single, ‘Just Dance’. A apresentação foi extremamente importante pra divulgação da cantora e da música.
Logo, GaGa estourava nas paradas Canadenses, e seu álbum foi lançado no dia 19 de Agosto, dando também inicio a Mini-tour Haus of GaGa, que divulgava seu primeiro álbum. O CD recebeu uma re-edição, contendo mais faixas, e foi lançado mundialmente no dia 28 de Outubro.O segundo single do seu álbum-debut seria ‘’Beautiful, Dirty, Rich’‘, música que também serve de abertura para a série Dirty Sexy Money. O desempenho da faixa estava mais baixo do que a música que se tornou oficialmente o segundo single, ‘’Poker Face’‘, que foi e ainda é um sucesso pelo mundo inteiro.
O terceiro single de seu álbum-debut varia em cada região do mundo. Na Oceania, a música escolhida foi ‘’Eh Eh (Nothing Else I Can Say)’‘. Na Europa, ‘’Paparazzi’’ foi a escolhida. No resto do mundo, ‘’LoveGame’’ se tornou o terceiro single do álbum.
Este ano Lady GaGa causou polêmica com o clipe “LoveGame” onde ela beija uma mulher, o fato foi confirmado por ela, que
admitiu ser bissexual.

Curiosidades:
• O seu nome artístico Lady GaGa é uma referência a canção ‘Radio GaGa‘, um sucesso dos anos 80 de Freddie Mercury (Queen).
• Lady GaGa aprendeu a tocar piano com 4 anos
• Com 17 anos ela se tornou uma dos 20 estudantes no mundo a conseguir admissão adiantada para a Tisch School of the Arts em New York.
• Já Trabalhou com Britney Spears, Pussycat dolls,New Kids on the Block, etc.
• Em cada local que o Álbum da Lady GaGa é lançado a faixa 8 é diferente.
• Freqüentou o colégio com Nicky Hilton e não Paris Hilton como dizem por aí.
• Sua primeira aparição na televisão foi no NewNowNext Awards
• Ela apresentou o episódio de estréia NewNowNext PopLab
• Recusou uma proposta da Playboy e disse: “Se eu fosse uma modelo glamour ficaria entusiasmada, mas para mim a música é tudo”, porém não descarta uma eventual mudança de planos.
• Seu personagem fictício preferido é Carrie Bradshaw, de Sex and the City
• Sua comida preferida é Frango e Húmus
• Ela quer ser lembrada por ser importante para a música e cultura, e possivelmente, por mudar a cultura pop
• O Lugar favorito dela é Rivington Street em Nova York.
• Ela é de origem italiana.
• Lady GaGa foi a primeira artista nos últimos dez anos que conseguiu chegar no primeiro lugar da parada musical da Billboard com seus dois primeiros singles, “Just Dance” e “Poker Face”. Na historia da revista apenas quatro cantoras conseguiram a proeza: Christina Aguilera, Mariah Carey , Tiffany e Lady GaGa.


Para quem tiver curiosidade, vale a pena ver este clip em peimeirissima mão da Lady chamado "Boys,boys,boys"... a musica é ótima e o video está super divertido.


Na minha opnião ela arraza sempre e com certeza o seu sucesso será cada vez maior! Eu adoroooo e sou super fã dela... além de ser linda esta minha lady canta muito!!!!

domingo, 10 de maio de 2009

Sexo ecologicamente correto

Galera este assunto é "forte" e já foi tratado até pelo Fantástico no final do ano passado!

Imagina esta situação: sábado, depois da balada, aquela pessoa da faculdade decidiu sair contigo (depois de trezentos convites e duzentos
sms) na balada, tudo bem: beijos, uma mão por aqui e outra por lá, tudo fica meio caliente, daí você resolve levá-la para o seu apartamento. A final, tudo estava meio que planejado, o teu amigo (que divide o apartamento contigo foi para o interior visitar os pais) e o clima está perfeito… ao chegarem ao quarto ela desliga a luz (até ai tudo bem, às vezes é a melhor opção) e você, todo empolgado toma a iniciativa, então ela pára tudo procura na cama o selo do IBAMA certificando que a madeira é legal. Não o encontra, então, ela decide que não vai para essa cama ecologicamente incorreta… Vamos para a cozinha então (nada melhor do que uma boa pia para uma boa noite, e porque não aproveitar algumas frutas, ou até aquela cobertura que sobrou do sorvete da sexta-feira) e ao tomar aquele morango para começar o ritual ela te pergunta se essa fruta é orgânica, caso contrário ela não aceita usar esse “apetrecho” sexual. BROCHANTE!!!!!!!! Não? Pois é, a pessoa leu, ou pelo menos está tentando fazer um sexo ecologicamente correto (???)



E daí você me pergunta: o que p… é essa de sexo ecologicamente correto??? Calma, nada mais é do que uma serie de sugestões pensadas (????) pela ONG mais conhecida, que se dedica a cuidar do planeta, do verde, da ecologia. Pois é, você teve a sorte de pegar uma militante.
Os mexicanos, na página do site da ONG no país, inovaram nesta área ao publicarem dez sugestões que fazem parte de um guia ecossexual. Quando li sobre a existência deste manual fiquei curioso para ver quais as sugestões de alguém, que pensa verde, poderia dar para fazer esta fusão (sexo e ecologia). Minha mente poluída logo, logo pensou: putzzzzzzz, agora vão sugerir que reciclemos os preservativos após serem usados. Daí, fui até o site, indicado pelo programa Podsex da MTV, e li os “10 mandamentos” ecossexuais.



Vejam a seguir quais são com os meus comentários:



1- Apagar as luzes na hora H… Hummm como já disse, dependendo da pessoa é melhor. Se você teve a sorte de pegar um cara-camarão, siga este mandamento do ONG, será muito útil.

2- Frutas? Só se forem sem agrotóxicos, só orgânicos. Na boa, alguém, por acaso, na hora do tesão vai se preocupar por isso????



3- Evitar mariscos e furos do mar, por estarem em perigo de extinção. Convenhamos, alguém ainda acredita que isto é um Viagra natural? Metrossexual que cuida do corpo não precisa disto.



4- Amor reciclado. Esta parece ser uma iniciativa legal para aproveitar tudo o que possa ser reciclado… mas, daí até tentar aproveitar uma lata reciclada na hora H… hummm, sei, não?



5- Usar lubrificantes naturais, a base de água. Não aqueles que sejam derivados do petróleo. O site, ainda, sugere que a língua é o melhor instrumento para isto (a famosa cuspida). Mas é preciso ver se aquela região amazônica foi devastada ou não rsrssrsr.



6- Escravo da paixão e não do petróleo. Acho isso bem legal. Eu mesmo me recusaria a usar couro, ou alguns “instrumentos” que usaram como base o petróleo. Na boa, alguém precisa disso?



7- Economizar água tomando banho juntos. Concordo e discordo… quero dizer concordo que é demais tomar banho juntos, usando o mesmo sabonete e ….. mas, acho que o tempo de banho dura mais, muitoooooooo mais… isso sem contar a banheira ou o ofurô.



8- Cama sustentável. Antes de começar o rale-e-rola, precisas certificar-te que a cama tenha os selos certificados do IBAMA, do IMETRO, do ISSO 2008, e até do vaticano… Poupem-me!



9- Sexo verde. Este é o mais bizarro dos “mandamentos”. É para os adeptos do spaking. O preceito disse que antes que o parceiro comece a te bater (ou vice-versa), você precisa (ou ele precisa) ver se a madeira com a que foi feita essa pá foi aprovada pelo IBAMA. Pode??? Um tapinha não dói, mas uma paulada, acho que sim. Tô fora!!!



10- Faça o amor e não a guerra. Este é o melhor de todos… de fato, acho que deve ser um porre tentar seguir esses “mandamentos” a risca, mas, uma coisa é verdade, no momento em que comecemos amar a nós mesmo e aos outros cuidaremos mais de nosso ecossistema, e assim termos um planeta muito, muito melhor.

E ainda pra quem quiser conferir tem até um vídeo feito pelo prórpio Greenpeace, chamado Forest Love, que mostra direitinhu como funciona esta história de sexo ecológico!! rsrsr...





Só por curiosidade, os produtos ecologicamente corretos invadiram a vida sexual dos americanos. Empresas tidas como referência no setor do erotismo, como a Big Teaze toys e Sensua Organics, tem apostado alto em produtos orgânicos. Os vibradores atuais não utilizam mais o composto químico ftalato, que dá ao plástico consistência macia, mas é altamente poluente. Os óleos de massagens usam fragâncias orgânicas, assim como os lubrificantes.


Alguns fabricantes de calcinhas e roupas íntimas utilizam fibras de bambu em sua confecção. Outros materiais como hemp e cânhamo são utlizados em fábricas de lingerie eróticas inglesas, enquanto a Condomi, fábrica alemã de preservativos, usa essência natural de morango (em substituição aos aromatizantes químicos) para dar cor e sabor à suas camisinhas .


Infelizmente,algumas empresas fabricantes de preservativos, usam pele de carneiro em substituição ao látex, e a cada oito vibradores comprados nos EUA, sete são fabricados com plásticos como PVC.De qualquer forma, a indústria de materiais eróticos está conquistando um novo nicho do mercado, que pertence aos consumidores com exigências ambientais .
Viva o sexo verde!.. desculpa... foi mais forte do que eu. rsrsrssr

sábado, 9 de maio de 2009

Transa á três



É mais forte do que eu esclarecer aqui um fato, cedo ou tarde, a sua hora vai chegar: o dia em que vão te propor uma transa á três.


Há muito se falava que o sexo deveria ser feito apenas por amor. É comum essa dúvida para muitos. Transar com alguém que se ama, ou que se quer bem, é bom. Porém, transar por transar também pode ser uma alternativa. Certa vez ouvi algo que fez sentido, mas que não lembro a autoria: "fome de amor se satisfaz com amor; fome de sexo, com sexo".


Generalizar a intencionalidade das pessoas é abrir um campo para equívocos e até preconceitos, cerceando a liberdade individual de manifestar suas diferenças. Cada pessoa, cada casal, deve ter resguardo o direito de escolher a forma de expressar-se sexualmente e vivenciar o seu prazer, claro, desde que não firam algumas regras sociais a exemplo de transar em público. Por outro lado, as pessoas não devem sentir-se obrigadas a vivenciar determinadas práticas sob qualquer tipo de pressão, inclusive aquelas veladas do tipo "todo mundo faz, então, também tenho de fazer".


Para não causar futuros conflitos na relação, deve-se procurar uma terceira pessoa que atenda às necessidades do casal e não apenas as de um ou de outro. Acho importante tb colocar algumas regras do tipo: carícias e intimidades devem acontecer dentro da relação e não fora dela, jamais existir programas a dois, ou mesmo telefonemas desnecessários com essa terceira pessoa, etc.


A expressão francesa ménage à trois significa "arranjo a três". O ménage é diferente do swing, que envolve a participação de pelo menos dois casais.


Bom, então vamos lá, se teu parceiro fez um pedido para realizar uma fantasia sexual dele, que é transar com você e com outra pessoa. Apesar de você sentir-se assustado com o pedido dele, vale você perguntar-se se existe a possibilidade - ou pelo menos a curiosidade - e a sua disponibilidade para realizar essa fantasia. Em outras palavras, essa fantasia também é sua?


O próximo passo seria conversar com seu parceiro expressando seus sentimentos e impressões em relação a idéia de realizar a fantasia de colocar mais uma pessoa entre vocês e para vocês. Esse é um detalhe importante: a terceira pessoa não será nem para você e nem para ele na relação, mas sim, para ambos. Daí a importância de o casal decidir em conjunto realizar, ou não, essa fantasia.


O consenso deve sempre ser respeitado e valorizado.


E se o assunto ainda te deixa encabulado, fique tranquilo, pois eu mesmo já beijei muito á três em baladas e adoro. E garanto que uma rapidinha no banheiro pode ser bom, e se for á três é melhor ainda!!!


E olha que tem muita gente famosa que tb adora, a última celebridade entregada pela mídia foi a Amy Winehouse que tentou convencer um casal de desconhecidos a fazer sexo a três em St Barts.


Galera, tenho que confessar que o sexo á três pra mim nunca foi um tabu e que em alguns momentos já foi mais forte do que eu... preciso dizer mais nada né?! rsrsrs